segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Forró

Origem da palavra:

Encontramos duas possíveis origens para o nome: a mais popular, defendida por Luiz Gonzaga, diz que forró viria do inglês "for all" - para todos - que designava os bailes realizados por ingleses em Pernambuco no início do século e que eram abertos a todos. Nestes bailes tocavam todos os tipos de música e também o ritmo precursor do forró atual. A segunda versão é dada pelo historiador e pesquisador da cultura popular Luís da Câmara Cascudo, que diz que a origem é o termo africano "forrobodó", que significaria festa, bagunça. Em alguns povoados pequenos do país (como na Ilha Grande- RJ ou na Ilha do Mel- PR) forró significa bailão popular ou arrasta pé, onde se dança de tudo.

Algumas ramificações do forró:

a) como dança e música: baião, xote, xaxado, coco, vanerão, quadrilhas juninas ...
b) como música: forró malícia (principal representante é Genival Lacerda), lambaforró, oxentemusic ...

A primeira música:

Consta como sendo "Baião"- (1946) de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, porém podem haver gravações anteriores.

Como surgiram os ritmos que compõem o forró:

O baião: sua origem remonta ao século XIX, no nordeste do país, mas faltam informações precisas para esse início. Segundo alguns, a palavra vem de " baiano". O baião veio do lundu e era dançado em roda; um dos presentes intimava os outros a dançar por meio de umbigadas e toques de castanholas. A popularização do ritmo se deu mesmo a partir da década de 40, com Luiz Gonzaga, pernambucano que veio para o Rio de Janeiro e gravou inúmeras músicas, que falavam do cotidiano nordestino. Esse tipo de baião cantado sofreu influências de outros ritmos, como o samba e a conga. Nos anos 70, Gil e Caetano com o tropicalismo e o interesse em resgatar os ritmos genuinamente brasileiros, deram nova força ao baião.

O baião apresenta diferenças regionais e de época. Existe o baião de Pernambuco, que é o tradicional, tocado com sanfona, triângulo e zabumba, cujos maiores representantes são Luiz Gonzaga e Dominguinhos. Já o baião de Fortaleza (grupo Mastruz com Leite) incorporou instrumentos mais modernos, como guitarra e bateria.

O xote: ritmo de origem européia que surgiu dos salões aristocráticos da época da Regência - final do séc XIX. Conhecido originalmente com o nome schottisch, dominou no período do Segundo Reinado incorporando-se depois às funções populares urbanas, passando a ficar conhecido como chótis e finalmente xote. Saiu dos salões urbanos para incorporar-se às regiões rurais, onde muitas vezes aparece com outras denominações.

O xaxado: o nome provém do som que os sapatos faziam no chão ao se dançar; é uma dança do agreste e sertão pernambucano, bailada somente por homens, que remonta da década de 20. O acompanhamento era puramente vocal, melodia simples, ritmo ligeiro, e letra agressiva e satírica. Tornou-se popular pelos cangaceiros do grupo de Lampião.

O coco: dança de roda do norte e nordeste do Brasil, fusão da musicalidade negra e cabocla. Acredita-se que tenha nascido nas praias, daí a sua designação. O ritmo sofreu várias alterações com o aparecimento do baião nas caatingas e agreste. Como compositor que popularizou o ritmo podemos citar Jackson do Pandeiro.

O vanerão: é o forró dançado no sul do país. Caracteriza-se por ser uma dança em que os pares giram pelo salão com imensa mobilidade e rapidez.

As quadrilhas juninas: são de natureza rural, da tradição européia, do culto ao fogo, anteriores ao cristianismo. A Igreja Cristã adaptou a festa de São João para absorver os cultos agrários pagãos. No Brasil a festa é acompanhada de muita música e dança: a quadrilha (dança das Cortes européias), o baião, o xote entre outros.

Atualmente o forró está sofrendo alterações em relação ao seu perfil original com o surgimento de novos grupos musicais e o sucesso que está fazendo entre os jovens. "A maioria destes grupos se formou após a febre da lambada, e a música que eles fazem é chamada de lambaforró ou oxentemusic. A dança também se modificou, assimilando passos da lambada (principalmente os giros)" afirma Dominguinhos. Diz, ainda, "que da mesma forma que o pagode ressuscitou sambistas antigos, como Martinho da Vila e Paulinho da Viola, os novos grupos de forró estão ajudando a divulgar o ritmo e suscitar interesse nos velhos mestres, como ele e Gonzagão". Podemos concluir, portanto, que o forró é um caldeirão de culturas de várias épocas e regiões que vai se modificando e se adaptando a cada geração.
Fonte: andreiudillof.com.br

Valsa


A dança foi surgindo nas regiões campestres da Áustria e Alemanha, a partir do minueto (dança em que os pares dançavam separados) e do Laendler (dança campesina mais antiga). Sua característica alegre e envolvente logo levou o ritmo à preferência de muitos, com exceção das classes aristocráticas e camadas sociais mais altas, que a consideravam imoral e vulgar. Em algumas partes da Inglaterra e em cortes alemãs, a dança foi proibida por algumas décadas. Por ocasião do Congres-so de Viena (1814/1815: reunião inter-nacional que restabeleceu o equilíbrio europeu após a derrota de Napoleão Bonaparte) a valsa foi vencendo as barreiras do pre-conceito e em pouco tempo se fez pre-sente nos salões, palácios e cortes imperiais, animando suntuosas e fre-qüentes festas à luz de grandiosos candelabros.

Isso se deu principalmente em Viena: a dança passou então a ser considerada de gran-de elegância, vindo a substituir os mi-nuetos e gavotas, antigas danças fran-cesas. Atualmente, a valsa mantém-se presente em ocasiões tradicionais: bailes de formatura e debutantes, festas de casamento, etc.

No Brasil a valsa teve importância fundamental na vida musical urbana, tanto como música de dança nos salões aristocráticos, seja como música cantada popularmente pelos seresteiros e que posteriormente foram denominadas "serestas".

Lambazouk

COMO FOI SURGINDO A LAMBADA    

1a fase. 

A dança teve suas origens na evolução do modo de dançar o carimbó (ritmo africano da região amazônica). Devido a proximidade geográfica com o Caribe, a música sofreu influências de ritmos como a cumbia e o merengue. O carimbó começou a ser dançado a dois e devido ao sucesso na região migrou para o nordeste. A partir daí, sofreu influências do forró, e chegou ao sul da Bahia, em Porto Seguro, já com o nome de lambada e com compasso quaternário (pois no norte era dançado com compasso binário, como o merengue). Devido à forma de se dançar com as pernas do casal muito unidas, o ritmo também era chamado de “rala-coxa”. Neste período surgiram as lambaterias. A lambada dessa fase era marcada lateralmente com dois movimentos para cada lado. O carnaval baiano conseguiu lançar a lambada para o sudeste do país, mas a força dessa primeira explosão durou apenas uma temporada.

2a fase.

Ironicamente, dois empresários franceses foram os responsáveis pelo nova fase de sucesso do ritmo. O grupo Kaoma, lançado por eles na Europa, estourou no mundo inteiro até no Japão, com a música Chorando se Foi (versão de um sucesso boliviano), retornando assim ao sudeste do nosso país em 1989. Foi a partir dessa época que foram incorporados na dança os muitos giros e passos acrobáticos, o que para muitos descaracterizou a dança da 1a fase na qual o casal dançava bem junto.   Depois de um intenso período de gravações de música de lambada (em que vários grupos e cantores pegaram “carona” no sucesso do ritmo), a lambada brasileira como música praticamente desapareceu. As pessoas que gostavam da dança foram buscar no exterior músicas que permitissem continuar a prática da lambada. 

domingo, 25 de setembro de 2011

Tango

O tango apareceu em Buenos Aires a partir do final do século passado derivando da habanera, da milonga e de certas melodias populares européias. Nos salões, ele começou a ser dançado nas décadas de 30 e 40. A maneira de dançar o tango foi se modificando e evoluindo de acordo com a época. Entre 1870/1900, dançava-se uma coreografia sem música definida (podia ser valsa, polka ou habanera). É a partir do fim de 1880 que surge o tango como música. A coreografia que se dançava era totalmente improvisada, com muitas paradas chamadas "cortes" (o dançarino parava de dançar para fazer poses com a sua parceira) e "quebradas" ( movimentos de cintura imitados dos negros). Os pares dançavam muito unidos, o que era escândalo para a época. É desta época a figura chamada de "parada".

 Nas duas décadas seguintes, o desenho realizado no chão com os pés é o que é valorizado na dança. É desta época os passos denominados "meia-lua" e "oito". Nesta fase os pares se distanciam e os corpos formam um arco, provavelmente em função da criação do desenho no piso. Entre 1920 e 1940, a postura dos dançarinos se modifica mais uma vez, tornando-se mais elegante; é quando surge o tango de salão. Já não interessa apenas o dançar e sim como dançar. É na década de 40 que se inicia a massificação do ritmo, pois foi quando mais se dançou o tango. Porém não houve um ganho na qualidade. Apenas nas décadas de 50 e 60 que os famosos "ganchos" e suas variações- tão popularizados no tango de apresentação- aparecem. Em 1970 a maior influência que o ritmo sofre é a do ballet clássico.

A paixão atual do mundo pelo tango se deve em grande parte pelo espetáculo "Tango Argentino" (de 1983) , produzido por Cláudio Segovia e Héctor Orezzoli, apresentado com sucesso na Europa e América. A partir deste espetáculo se revitalizou no mundo o interesse pelo aprendizado do ritmo. Segundo Segovia o espetáculo criou o tango-dança, que não existia antes (tango como espetáculo) e despertou o interesse e o desejo de aprender a dançar. Diz também que o tango não é um ritmo que se aprende em poucas aulas. "A colocação do corpo, a cabeça, o olhar, os ombros, os braços, o tórax, as pernas, saber caminhar com passos largos e elegantes, é um processo que pode levar muito tempo. Depois de tudo isso, pode-se começar a aprender os passos." , completa Segovia.

No Brasil, no início deste século, o que se chamava de tango brasileiro era em realidade o maxixe, pois foi a forma que os nossos compositores encontraram para burlarem o preconceito deste ritmo genuinamente nacional e precursor do samba.

Soltinho

Não sabemos ao certo como e quando o soltinho apareceu aqui no Brasil. Em nossa pesquisa encontramos a dança como uma variação do Eastern Country Swing Americano, com a diferença do soltinho ter a marcação do passo básico para os dois lados. Também foi chamado em algumas fontes de swing ou rock brasileiro.É uma dança que junta a ginga e o improvisação brasileira ao rock e o swing dos EUA.  

O primeiro ponto a ser esclarecido é que, diferente da maioria dos outros ritmos (como o samba, o tango ou o rock), o soltinho é apenas dança, não tendo música característica. Não se pode afirmar: esta música é um soltinho, e sim, esta música pode ser dançada como soltinho. E que músicas são essas? Todas as que tenham balanço, que normalmente eram dançadas separadas (ver quadro abaixo CDs para dançar). Experimente entrar em uma loja de CDs e pedir um de soltinho. Se o vendedor for honesto (e não fizer aula de dança) dirá que não sabe o que é, pois o termo é conhecido apenas no mundo da dança de salão.  


No Rio de Janeiro o soltinho começou a ser dançado a partir da década de 80. Nos salões paulistanos ele começou a ser dançado no início da década de 90, pegando carona com o sucesso do samba de gafieira e do bolero vindos do Rio de Janeiro. O ritmo é contagiante pela sua relativa facilidade no aprendizado (não necessita da técnica do samba de gafieira ou do tango), pelos giros e alegria dos passos e pela improvisação no estilo. Além disso o soltinho pode substituir outras danças: pode se dançar um swing, um rock lento ou mesmo um fox-trot.



quinta-feira, 22 de setembro de 2011

A arte da comunicação pelo corpo.

A dança é um dos meios de comunicação mais antigos. É por ela que o ser humano se expressa de forma livre e especial.


Wagner Brasil.

Balada Latina - Recife/PE - 10 de Julho 2011

Balada Latina - Recife/PE - 10 de Julho 2011.

Local: Escola Laiz Senna.
Bairro: Madalena Recife/PE.

Workshop Cia Terapia Dança de Salão - Recife/Brasil.06 de Agosto 2011.


Workshop.


 





                            - MENU WORKSHOP- 

3In 1 - Zouk, Samba & Kizomba weekend Berlin - 02, 03 e 04 Setembro 2011.

3In 1 - Zouk, Samba & Kizomba weekend Berlin - 02,03 e 04 Setembro 2011.
Local - Berlin /Alemanha.




 














                                            -MENU WORKSHOP-



3In 1 - Zouk, Samba & Kizomba weekend Berlin - 02,03 e 04 Setembro 2011


3In 1 - Zouk, Samba & Kizomba weekend Berlin - 02,03 e 04 Setembro 2011.
Local: Artdance Company Berlin /Alemanha.

Workshop Dresden.


Workshop Dresden -
Academia Salsa Sandana - Dresden / Alemanha.
18 de Setembro 2011.
 


 





 






Romantic Evening 02 Outubro


Data: 02 Outubro de 2011.


FOTO EM BREVE

Local: Centro de Dança Aílton Silva Artdance  Tanzstudio
       
                                              -MENU WORKSHOP-

CONGRESSO

NACIONAIS
Berg´s Congresso International Zouk-Lamba Sumer Festival 2012
Porto Seguro /Bahia - Brasil.



INTERNACIONAIS
2 nd International Zouk Congress in Berlin 2011.
3 nd International Zouk Congress in Berlin 2012.


DJ.


Repertório personalizado para seu evento.

Show para festas em geral.

PUBLICIDADE E PROPAGANDA EM GERAL.


Novas ideias em praticar.
  • Criação de campanhas publicitarias.
  • Criação de Logomarca.
  • Papelaria.
  • Identidade Visual.
  • Criação de Site

ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS


Faça sua festa acontecer 
  • Assessoria e Consultoria para Eventos.
  • Organização de eventos.
  • Produção de eventos.
  • Ação Promocional.
  • Ação de Marketing.

TRABALHOS RELACIONADOS A DANÇA.


Workshops , Aulas e Apresentações
Hoje, a busca por projetos de Qualidade de Vida é uma constante dentro das corporações, incluindo todos os níveis hierárquicos propocionando-lhes uma maior integração social. A Dança é uma das modalidades mais procuradas nestes projetos, pois tem baixo custo de implantação e tem ampla aceitação. Ganha a empresa, ganham os funcionários.
 
Ganhos para o funcionário: 
  • Diminuição do stress
  • Desenvolvimentos do conceito de parceria
  • Concentração
  • Sociabilidade
  • Criatividade
  • Motivação
  • Coordenação e Ritmo
  • Saúde

Ganhos para a organização:
  • em status de saúde
  • em expectativa de vida
  • em custos saúde
  • em agilidade
  • em produtividade
  • em responsabilidade social


 Locais:
  • Empresas, Escolas, Hotéis e Etc;
  • Grupos de amigos e Condomínios;
  • Personal Dance;
  • Apresentação de Dança de Salão. 

TRABALHO COMO COREOGRAFO.


  • Criação de coreografia para casamento;
  • Aniversários;
  • Desfile;
  • Bandas;
  • Grupos de Dança.

Metodologia

Uma didática simples para facilitar o aprendizado do aluno,obtendo assim resultados satisfatórias.  

  • Atenção exclusiva do profissional; 
  • Ritmo e musicalidade;
  • Postura e respiração;  
  • Avaliação do professor. 
                                                                 -MENU AULAS PRIVADAS-

Preço e Contato

Preço: R$ 100,00 Hora aula.
Pacote de 10 aulas R$ 900,00 (á vista).

Informações:
Wagner Brazil
E-mail: wagner_brazil@hotmail.com
Facebook: Wagner Lima
Twiter: @WagnerBrazilBR
Orkut: Wagner Brasil

Berlin/ Alemanha Contato: +4917673997812.
Recife/ Brasil contato: +55 (81) 99793636 / 86896125.
           
                                             -MENU AULAS PRIVADAS-

Benefícios

A dança de salão não tem idade para ser praticada e vem ganhando cada vez mais espaço entre o público jovem.
Sem contra-indicações, é uma atividade física e tanto para quem quer manter a forma e gastar várias calorias de uma vez só, pois 40 minutos de exercício queimam, em média, 600 calorias.  

Os benefícios da dança de salão, como uma atividade física, são bem conhecidos:  

  • Flexibilidade.
  • Melhora do condicionamento aeróbico.
  • Aprimoramento da coordenação motora.
  • Perda de peso.
  • Desenvolve a musculatura corporal de forma integrada e natural.
  • Aperfeiçoa a noção de ritmo e percepção espacial.
  • Promove a melhora de algumas doenças.
  • Permite uma melhora na auto-estima e quebra de diversos bloqueios psicológicos, como a timidez, a depressão, entre outros.
  • Possibilita o convívio e aumenta o rol de relações sociais.
  • Torna-se uma excelente opção de lazer.


Além de todos esses benefícios, a prática da dança ainda ajuda na prevenção de doenças articulares como artroses e artrites, isso sem contar problemas circulatórios. Como em qualquer atividade física os movimentos ativam a circulação sanguínea, principalmente das pernas, além de proporcionar uma melhora em problemas de postura.

                                                    -MENU AULAS PRIVADAS-

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Salsa

A origem da Salsa é latino-afro-americana tendo tido como base o son cubano. A história conta que, foram os cubanos que viviam no “El Barrio” (Bairro Latino em Nova York) que trouxeram o son cubano para a América e lá, com a influência do Jazz e de todos os outros estilos musicais e de dança, surgiu um novo ritmo que os americanos designaram por Salsa, por ser uma mistura (“molho”) de diferentes ritmos.  A Salsa a par leccionada na FullOut é a Salsa em linha, embora se incorporem nela os diversos estilos mundialmente conhecidos (Salsa Los Angeles, Nova York, Porto Riquenha e Cubana), aos quais se juntam influências de outros estilos de dança, tornando-a mais enriquecida e polifacetada.

Bolero

Como em outros ritmos, a origem do Bolero não está muito clara. Mas a versão mais contada é que nasceu na Espanha (e não na Inglaterra ou França), onde formou suas características mais marcantes, passou pela França, até finalmente chegar à Cuba. Popularmente diz-se que o Bolero é uma espécie de avô de outros ritmos como o chá-chá-chá, salsa e mambo. Uma das danças mais românticas conhecidas, o bolero inspira amor e paixões proibidas. O bailarino Sebastian Cerezo foi quem popularizou o ritmo a partir das Sequildillas, bailados de cigana, cujo os vestidos eram ornados com pequenas bolas, as "boleras", que deu origem ao nome. No Brasil, o Bolero sofreu influência do Tango e agregou giros, caminhadas, cruzadas e outras variações tornando a dança mais atraente, criando o Bolero Carioca. A base da dança é o famoso "dois pra lá, dois pra cá", mas sofre algumas variações dependendo do local. Em São Paulo, por exemplo, há quem ensine um pra lá, dois pra cá. Apesar de o Bolero ser um ritmo que influenciou outros mais modernos, ele não perde seu público. Pelo contrário, os amantes do Bolero são fiéis e muitos, românticos. O Bolero praticado no Brasil é diferente da forma como ele é praticado no mundo inteiro. 

Bolero



Como em outros ritmos, a origem do Bolero não está muito clara. Mas a versão mais contada é que nasceu na Espanha (e não na Inglaterra ou França), onde formou suas características mais marcantes, passou pela França, até finalmente chegar à Cuba. Popularmente diz-se que o Bolero é uma espécie de avô de outros ritmos como o chá-chá-chá, salsa e mambo. Uma das danças mais românticas conhecidas, o bolero inspira amor e paixões proibidas. O bailarino Sebastian Cerezo foi quem popularizou o ritmo a partir das Sequildillas, bailados de cigana, cujo os vestidos eram ornados com pequenas bolas, as "boleras", que deu origem ao nome. No Brasil, o Bolero sofreu influência do Tango e agregou giros, caminhadas, cruzadas e outras variações tornando a dança mais atraente, criando o Bolero Carioca. A base da dança é o famoso "dois pra lá, dois pra cá", mas sofre algumas variações dependendo do local. Em São Paulo, por exemplo, há quem ensine um pra lá, dois pra cá. Apesar de o Bolero ser um ritmo que influenciou outros mais modernos, ele não perde seu público. Pelo contrário, os amantes do Bolero são fiéis e muitos, românticos. O Bolero praticado no Brasil é diferente da forma como ele é praticado no mundo inteiro. 

Zouk Brasil Style


Vamos começar pelo nome ZOUK, que é uma palavra de origem francesa que significa "festa" e que substituiu a música ao vivo na década de 1960 nas Antilhas Francesas.

O ZOUK é um gênero musical ORIGINÁRIO das Antilhas. Está presente em vários ritmos brasileiros e sempre teve grande influência na região norte do Brasil.

Dança Zouk
O zouk, é uma dança muito parecida com o merengue, praticada no Caribe, principalmente nas ilhas de Guadalupe e Martinica. É dançado trocando o peso basicamente nas cabeças dos tempos musicais.

O zouk tem hoje vários estilos: estilo "FLOWcriado pelo DJ. Arkan´jo, "NEOZOUK"criado pelo DJ. Mafie Zouer estilo SOULZOUK criado pelo professor China, Cabo love (Proveniente de Cabo Verde) e que tem uma caboverdiana Suzanna Lubrano como diva do estilo; o Zouk r'n'b, que mistura o hip hop, explorado pelo grupo cubano Orishas e pelo brasileiro D'Black, e o REGGAETON, que explode nos Estados Unidos e tem uma batida mais acelerada. Zouk love! (dos anos 80 e 90).
Os principais pólos do zouk carioca, além do Rio, são: Belo Horizonte, Brasília, Amsterdã, Barcelona, Palma de Mallorca, Brisbane, Sidney, Zurique.
A lambada no estilo de Porto Seguro resiste em locais como São Paulo, Porto Seguro, Arraial D'Ajuda, Londres, Buenos AiresA dança zouk está em muitos lugares como França, Inglaterra, São Tomé e Príncipe ...
A dança Kizomba, parecida com a dança zouk é febre em Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, Portugal.


.
 

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Samba de Gafieira

Genuinamente brasileiro, o samba nasceu e cresceu em meio à boemia carioca, nas primeiras décadas do século 20. Tudo começou com a dança, extremamente criativa e ágil, que exigia uma dose extra de energia daqueles que entravam na roda.
No começo eram os negros emigrantes da Bahia e se instalaram nos bairros da região central carioca que se organizavam, com o intuito de preservar suas origens.Pouco a pouco , o novo ritmo contagiou os boêmios, recebendo novas influências e uma nova estética. A dança ganhou o acompanhamento de cordas muito bem afinadas, e letras fáceis de decorar, que geralmente narravam as historias do cotidiano daquelas pessoas. Não demorou muito para que o samba criasse raízes fortes, propagando-se por todo o país. 
Em constante mutação, acompanhando o contexto social, o samba ganhou novas  versões. Por volta de 1940, por influencia de ritmos latinos e norte americanos, surgiu o samba de gafieira. 

A diferencia principal estava no modo de tocar a música, que agora era acompanhada por uma orquestra, aos  moldes das orquestras norte-americanas que tocavam nos salões de dança. 
O samba de gafieira ganhou status de dança de salão. Aliás, o nome gafieira foi emprestado das gafieiras, salões de dança geralmente instalados em sobrados, espalhados por Botafogo, Catete e Centro do Rio de Janeiro. Pronto Pra dançar           

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

3 IN 1- ZOUK, SAMBA & KIZOMBA WEEKEND BERLIN 2011.


Foi um sucesso o 3 IN 1- ZOUK, SAMBA & KIZOMBA WEEKEND BERLIN 2011. Realizado de 2 a 4 de Setembro, na Artdance  Company, contou com a presença de grandes profissionais como Ailton Silva realizado do evento, Jessica Lepzy, Adriana Moreno, Bianca Tude e Wagner Brazil como professores, para agitar as noites nas festas um dos melhores Dj´s da Europa Zoukerro Johannes.  


Agradecemos a todos que participaram do evento.


It was a hit the 3 IN 1 - Zouk, Samba & KIZOMBA WEEKEND BERLIN 2011. Held 2 - 4 September in Artdance Company, with the presence of great professionals such as Ailton Silva held the event, Jessica Lepzy, Adriana Moreno, Bianca Tude and Wagner Brazil as teachers, to shake the party nights in one of the best Dj 's European Zoukerro Johannes.


Thanks to everyone who attended the event.




video